O que são pedras na vesícula (cálculos biliares)?

As pedras na vesícula (cálculos biliares) são pedaços de material sólido que se formam na vesícula biliar, um pequeno órgão sob o fígado.

A vesícula biliar se conecta ao sistema hepático com o ducto cístico que leva diretamente ao ducto biliar comum. Ela armazena e libera bile, um fluido produzido no fígado, para ajudar na digestão.

O revestimento da vesícula biliar consiste de epitélio escamoso, origina-se do ectoderma, sendo assim, é controlado a partir do córtex cerebral.

Esse revestimento é controlado a partir do lobo temporal direito (parte do córtex pós-sensorial). O centro de controle está posicionado exatamente em frente ao relé cerebral do revestimento do reto.

Qual é o conflito biológico relacionado a pedra na vesícula (cálculo biliar)?

Pedra na vesícula (cálculo biliar) pela Medicina Germânica Heilkunde

De acordo com a medicina tradicional, a causa dessa condição ocorre pelo excesso de colesterol na bile, por infecções e distúrbios de sangue que podem fazer com que o fígado produza muita bilirrubina, ou quando a vesícula biliar não esvazia completamente.

Já para a Medicina Germânica Heilkunde, essa condição está relacionada a um conflito biológico (evento traumático e inesperado) que o ocorre na vida de um indivíduo. Segundo Dr. Hamer, o que chamamos de doença se origina através de um conflito.

O conflito biológico relacionado à vesícula biliar é um “conflito de raiva territorial masculino” ou um “conflito de identidade feminina”, dependendo do sexo, lateralidade e estado hormonal de uma pessoa.

Uma raiva territorial se relaciona com a raiva no ambiente e nos lugares que alguém considera como seu domínio, no sentido literário ou figurativo.

Os conflitos de raiva territoriais típicos são:

  • Disputas em casa;
  • Brigas no local de trabalho;
  • Raiva na escola, no jardim de infância, no playground, em uma casa de idosos, asilos, ou no hospital;
  • Raiva no “território” estendido, como no bairro, cidade ou país onde se vive;
  • Brigas por um terreno ou propriedade;
  • Barulho irritante na casa ou bairro;
  • Briga por uma vaga de estacionamento ou por um brinquedo e outros motivos.

Fase ativa do conflito

Nessa fase ocorre a ulceração no revestimento da vesícula biliar, sendo proporcional ao grau e duração da atividade de conflito.

O objetivo biológico da perda celular é aumentar o fluxo da bile para o intestino, o que fornece ao indivíduo mais energia para resolver o conflito. A ulceração também pode envolver o ducto cístico.

O sintoma são dores leves a fortes, dependendo da intensidade do conflito de raiva territorial.

Fase de cura do conflito

Durante a primeira parte da fase de cicatrização, a perda de tecido é reposta através da proliferação celular.

Os sintomas de cura são inchaço devido ao edema (acúmulo de líquido) e dor abdominal.

A retenção simultânea de água devido à Síndrome dos túbulos coletores renais aumenta o inchaço e a dor. Com uma inflamação, a condição é chamada de colecistite.

A crise epileptoide se manifesta como dor aguda e cólicas ou espasmo (cólica biliar), se os músculos estriados circundantes da vesícula biliar sofrem a crise epileptoide ao mesmo tempo.

Quando ocorre a pedra na vesícula (cálculo biliar)?

A epicrise pode durar até trinta horas. Com uma cura suspensa, isto é, quando a fase de cura é continuamente interrompida por recaídas de conflito, o acúmulo de bile acaba levando à formação de cálculos biliares.

Em um ponto durante a crise epileptoide, eles são empurrados através do ducto cístico e do ducto biliar comum para o intestino delgado, o que é muito doloroso.

Na fase pós-conflito a vesícula biliar lentamente retorna à sua função normal.

Conclusão

Espero que você tenha compreendido sobre pedra na vesícula (cálculo biliar) segundo a Medicina Germânica Heilkunde.

Considerou o artigo útil? Compartilhe esse artigo para que possamos ajudar mais pessoas a terem conhecimento sobre a Medicina Germânica Heilkunde.

>>> Garanta agora mesmo: Guia definitivo da Medicina Germânica Heilkunde

Este blog é apenas um blog educativo. As informações e serviços aqui contidos não devem ser interpretados como um diagnóstico, tratamento, prescrição ou cura para a doença. Aqueles que buscam tratamento para uma doença específica devem consultar seu médico para determinar o protocolo de tratamento adequado, correto e aceito antes de usar qualquer coisa que é divulgado nesta página. O material referenciado acima reflete a convicção sincera da Dra. Marina Bernardi sobre esta nova medicina.