O que é epilepsia e convulsão segundo a Germânica Heilkunde?

O que é epilepsia e convulsão segundo a Germânica Heilkunde?

Sobre epilepsia segundo a Germânica Heilkunde

Nesse artigo, vamos abordar como a Germânica Heilkunde trata as convulsões epilépticas.

Uma crise epiléptica com convulsões tônico-clônicas é caracterizada por contrações musculares rápidas e violentas, ocorrendo até a perda de consciência do indivíduo. Esse é o maior medo das pessoas quando falamos de convulsões.

Na Germânica Heilkunde, a resolução de um conflito motor pode ocorrer no mesmo momento que ocorre um conflito de separação, por isso a perda de consciência

A convulsão pode ser localizada (focal) ou pode envolver todo o corpo. A convulsão localizada ou focal empurrando um único músculo ou grupos musculares é limitada aos músculos relacionadas ao conflito. Já quando o ocorre uma grande crise, as convulsões envolvem os músculos de todo o corpo, ocorrendo espuma na boca, mordida na língua e urinar de forma involuntária.

Analisando a natureza do conflito, determinamos quais músculos são prejudicados. Durante a atividade de conflito ocorre a paralisia muscular. Nessa fase, o indivíduo nem sequer fica ciente do ocorrido, talvez sinta pesada a área em questão.

Após a resolução do conflito, na fase de cicatrização surgirá o tremor, que é a convulsão. Os espasmos neutralizam a paralisia com o máximo de movimento. Esse movimento é um sinal visível de que o corpo está se esforçando para voltar ao normal. Se nenhuma recaída do conflito interrompe a fase de cicatrização (faixas), os músculos voltarão ao normal.

As crises recorrentes são desencadeadas por recaídas de conflitos através da configuração de um trilho, que foi estabelecida quando o conflito motor ocorreu pela primeira vez. Os “sinais de alerta” anteriores a uma convulsão, chamada de aura epiléptica, podem se tornar trilhos, ocorrendo novos ataques. Nesse ponto, o conflito motor original já pode ser irrelevante.

Os espasmos sem controle podem ser muito traumáticos e desencorajadores para o indivíduo afetado e muitas vezes levam a um ciclo vicioso de recaída. Esta é a base da epilepsia, fase de resolução que afeta o córtex motor no cérebro. Quando o conflito de separação ocorre ao mesmo tempo, pode ocorrer uma perda de consciência. Esta é uma grande crise que afeta simultaneamente o córtex sensorial e motor.

As informações sobre o choque do conflito podem ser descobertas através da observação da crise epiléptica no indivíduo. Todos os componentes do conflito biológico original são experimentados novamente durante a crise epiléptica. A observação nos proporcionará uma possível resolução do conflito.

Conclusão

Espero que você tenha entendido sobre visão da Germânica Heilkunde sobre as convulsões epilépticas.

Gostou do artigo? Compartilhe com outros profissionais da saúde ou com um amigo querido que poderá ajudar.

Conheça ainda mais a Germânica Heilkunde através do nosso ebook:

Nova-medicina-germanica-pdf

Este blog é apenas um blog educativo. As informações e serviços aqui contidos não devem ser interpretados como um diagnóstico, tratamento, prescrição ou cura para a doença. Aqueles que buscam tratamento para uma doença específica devem consultar seu médico para determinar o protocolo de tratamento adequado, correto e aceito antes de usar qualquer coisa que é divulgado nesta página. O material referenciado acima reflete a convicção sincera da Dra. Marina Bernardi sobre esta nova medicina.

.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Instagram

  • Instagram Image
  • #marinabernardi #germânicaheilkunde #novamedicinagermânica #5leisbiológicas #5leisdedrhamer #autocura #natureza
  • Eu olhei a receita, e me bateu uma enorme tristeza. Como uma pessoa que estudava há 10 anos sobre a cura interior, poderia tomar pela segunda vez um antibiótico por não conseguir aliviar os sintomas sozinha? Eu estava com uma dor na minha garganta, já não conseguia engolir mais nada. Já tinha tomado uma caixa de antibiótico contra a vontade,( depois de mais de 15 anos sem antibióticos) e quando cheguei na consulta, o médico não acreditou que o antibiótico + anti-inflamatório não havia dado resultado, a dor e os sintomas retornaram. O médico perguntou: Quando começou? Adivinha o que eu respondi? Depois que eu e meu marido discutimos. E ele, fingiu que acreditava com aquele olhar que diz: Mais alguma coisa? Fiquei com cara de paisagem ali, e disse “eu acho que é emocional” E ele falou, pode ser que seja refluxo também. E me deu aquela vontade de dizer, "sim doutor, é contrariedade indigesta, eu estou bastante irritada" E ele disse é possível que tenha refluxo e então as bactérias precisam agir ali... Eu tinha certeza que era refluxo, pela situação que vivi. Então ele disse, infelizmente tem placas e você precisa tomar mais uma caixa de antibiótico. Eu pensei comigo “Nãoooooo. EU VOU DAR UM JEITO NISSO.” Mas só pensei, não disse. E falei Ok, obrigada. Eu voltei pra casa derrotada. Minha cara de angustiada dizia tudo quando eu me olhava no espelho. (continua nos comentários)

Siga-me!!!