A Melodia Sagrada de Dr Hamer

A Melodia Sagrada de Dr Hamer

Dr Hamer escreveu a música Mein  Studentenmadchen (Minha amada estudante) no vigésimo aniversário de casamento para sua esposa. O que ele não sabia é que a música tinha se adiantado 5 anos da Germânica Heilkunde, pois ele só descobriu a Germânica cinco anos depois da música.

E quando percebeu alguns pontos em comum da música com seus descobrimentos ficou perplexo.

O primeiro ponto em comum é que a música possui duas fases assim como a segunda lei biológica na Nova Medicina Germânica.

A música é um protótipo de todas as músicas clássicas arcaicas e ao mesmo tempo é um protótipo do programa biológico da Germânica Heilkunde.

Assim elas são totalmente conectadas, a música é praticamente um pilar da Germânica.

Dr Hamer também pode concluir que todas essas músicas clássicas arcaicas foram feitas apartir dos próprios conflitos biológicos, pois todas tem duas fases, exatamente como a segunda lei de Dr Hamer. Então ao invés de expressar com palavras ou gestos seus conflitos, é expressado com notas. Assim como ele expressou o seu conflito com a música…

Os efeitos da Música

A música detém o pânico, o câncer, e as psicoses se ouvida diariamente durante a noite e também de dia. Se a pessoa estiver em Pcl a, com muitos sintomas, a música sobrepassa a fase de epicrise e  “empurra”  a pessoa até o final da fase de cura.

Caso estiver em conflito ativo a música para o crescimento de tumores, não faz resolver o conflito porém a pessoa para de vivenciar o conflito, parando o crescimento de tumores.

Assim como gostando na cultura dos povos germânicos, sempre que uma pessoa estava mal, os integrante se reuniam em circulo e cantavam uma melodia sagrada para a pessoa. Com isso Dr Hamer conclui que muitos povos antigos já usavam dessas músicas para ajudar as pessoas, e a música que ele descobriu reforça todo esse conhecimento.

Assista o vídeo:

[video_player type=”youtube” width=”560″ height=”315″ align=”center” margin_top=”0″ margin_bottom=”20″]aHR0cHM6Ly93d3cueW91dHViZS5jb20vd2F0Y2g/dj04bFRFWkNJN0NIbw==[/video_player]

 

Link da música: https://www.youtube.com/watch?v=d54GSTF0d3w

 

Gostou do artigo? Compartilhe com outros profissionais da saúde ou com um amigo querido que poderá ajudar.

Conheça ainda mais a Germânica Heilkunde através do nosso ebook:

Nova-medicina-germanica-pdf

Este blog é apenas um blog educativo. As informações e serviços aqui contidos não devem ser interpretados como um diagnóstico, tratamento, prescrição ou cura para a doença. Aqueles que buscam tratamento para uma doença específica devem consultar seu médico para determinar o protocolo de tratamento adequado, correto e aceito antes de usar qualquer coisa que é divulgado nesta página. O material referenciado acima reflete a convicção sincera da Dra. Marina Bernardi sobre esta nova medicina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Instagram

  • Instagram Image
  • #marinabernardi #germânicaheilkunde #novamedicinagermânica #5leisbiológicas #5leisdedrhamer #autocura #natureza
  • Eu olhei a receita, e me bateu uma enorme tristeza. Como uma pessoa que estudava há 10 anos sobre a cura interior, poderia tomar pela segunda vez um antibiótico por não conseguir aliviar os sintomas sozinha? Eu estava com uma dor na minha garganta, já não conseguia engolir mais nada. Já tinha tomado uma caixa de antibiótico contra a vontade,( depois de mais de 15 anos sem antibióticos) e quando cheguei na consulta, o médico não acreditou que o antibiótico + anti-inflamatório não havia dado resultado, a dor e os sintomas retornaram. O médico perguntou: Quando começou? Adivinha o que eu respondi? Depois que eu e meu marido discutimos. E ele, fingiu que acreditava com aquele olhar que diz: Mais alguma coisa? Fiquei com cara de paisagem ali, e disse “eu acho que é emocional” E ele falou, pode ser que seja refluxo também. E me deu aquela vontade de dizer, "sim doutor, é contrariedade indigesta, eu estou bastante irritada" E ele disse é possível que tenha refluxo e então as bactérias precisam agir ali... Eu tinha certeza que era refluxo, pela situação que vivi. Então ele disse, infelizmente tem placas e você precisa tomar mais uma caixa de antibiótico. Eu pensei comigo “Nãoooooo. EU VOU DAR UM JEITO NISSO.” Mas só pensei, não disse. E falei Ok, obrigada. Eu voltei pra casa derrotada. Minha cara de angustiada dizia tudo quando eu me olhava no espelho. (continua nos comentários)

Siga-me!!!