Saiba sobre Intestino grosso e Diverticulite

As chamadas doenças do intestino grosso são consideradas autoimunes conforme a medicina tradicional. Mas através desse artigo, pretendo esclarecer sobre o intestino grosso e diverticulite segundo a Germânica Heilkunde.

Seguindo o intestino delgado, o intestino grosso (cólon) é a última porção do trato gastrointestinal. O intestino grosso é dividido em várias partes estruturais.

A primeira seção do intestino grosso é o ceco com o apêndice, um tubo de extremidade cega em forma de bolsa conectado ao cólon ascendente.

O cólon transverso se estende do lado direito para o esquerdo do corpo, onde se junta ao cólon descendente.

O cólon sigmoide é a seção final do intestino grosso. Originalmente, todo o canal intestinal servia para absorção e digestão de comida.

Atualmente, o cólon secreta apenas muco e é a parte do trato intestinal onde os resíduos dos alimentos são processados ​​em fezes e transportados para o reto, de onde são eliminados.

O cólon consiste no epitélio cilíndrico intestinal, origina-se no endoderma, portanto, é controlado a partir do tronco cerebral.

O papel do tronco cerebral

No tronco cerebral, o intestino grosso tem quatro centros de controle que estão ordenadamente posicionados dentro da forma de anel dos relés cerebrais, que controlam os órgãos do canal alimentar, precisamente entre o intestino delgado e os relés do reto.

Os centros de controle do intestino grosso estão localizados no lado esquerdo do tronco cerebral, começando com o relé cerebral do ceco com o apêndice, continuando no sentido anti-horário com os centros de controle do cólon ascendente, cólon transverso e cólon descendente.

No nível do órgão, o intestino delgado e o intestino grosso são separados pela válvula ileocecal, marcada no nível do cérebro como a transição do hemisfério direito para o esquerdo do tronco cerebral.

Qual é o conflito biológico ligado ao intestino grosso?

Intestino grosso e Diverticulite segundo a Germânica Heilkunde

O conflito biológico ligado ao intestino grosso (exceto o cólon sigmoide) é um “conflito de pedaço indigesto”.

Para os animais, um pedaço indigesto é um verdadeiro alimento, já para humanos, pode ser bastante figurativo, por exemplo, pode ser um carro, uma casa ou um objeto de valor.

Também podemos perceber certas circunstâncias ou um evento desagradável e sofrer o conflito quando a situação é considerada “indigesta” ou “não absorvível”.

O aspecto distinto do “conflito de pedaço indigesto” correspondente ao intestino grosso, incluindo o apêndice e o ceco, é que o conflito é vivenciado como particularmente “não aceitável”, por exemplo, brigas não aceitáveis por dinheiro ou por uma propriedade, divórcios não aceitáveis, processos judiciais não aceitáveis, ou traições não aceitáveis.

Durante a fase ativa do conflito

Durante a fase ativa do conflito, as células do intestino grosso proliferam proporcionalmente à intensidade do conflito.

O objetivo biológico do aumento de células é facilitar a digestão do bocado. Mesmo que o cólon não tenha mais função digestiva, no caso de um conflito biológico, o intestino grosso ainda responde com aumento de células, porque originalmente todo o canal intestinal servia para a digestão dos alimentos.

Com atividade de conflito prolongada (conflito suspenso), um tumor ou câncer de cólon se desenvolve como resultado do aumento contínuo das células.

O tumor cresce em um nível plano (tipo absortivo) ou em forma de couve-flor (tipo secretor). Se a taxa de divisão celular ultrapassa determinado limite, a medicina tradicional considera o câncer como “maligno”. Abaixo desse limite, o crescimento é considerado “ benigno ” ou diagnosticado como pólipo intestinal.

Não há sintomas durante fase ativa do conflito. No entanto, um grande tumor causa um estreitamento do cólon, o que pode levar a uma obstrução do intestino, que requer cirurgia.

Durante a fase de cura

Após a resolução do conflito, fungos ou micobactérias como a bactéria TB, removem as células que não são mais necessárias.

Os sintomas de cura são diarreia, sangue nas fezes, cólicas abdominais, especialmente durante a crise epileptoide e suores noturnos.

Um “crescimento excessivo de levedura intestinal indica que os fungos auxiliam no processo de cicatrização. A “infecção intestinal” com diarreia (sangue) e dor abdominal também pode ser causada pela bactéria Escherichia coli.

Dependendo do grau da fase de conflito ativo, os sintomas variam de leves a graves.

Se os micróbios necessários não estiverem disponíveis após a resolução do conflito, porque foram destruídos pelo uso excessivo de antibióticos, as células adicionais permanecem.

Quando ocorre a diverticulite?

A diverticulite é o resultado de uma cura prolongada no intestino.

Devido ao processo contínuo de remoção de células, a parede intestinal torna-se fina, levando à formação de bolsas (divertículos) na parte externa do cólon. A diverticulite é a condição em que tal bolsa inflama devido a recaídas de conflito.

Conclusão

Espero que você tenha compreendido sobre intestino grosso e diverticulite segundo a Germânica Heilkunde.

Considerou o artigo útil? Compartilhe esse artigo para que possamos ajudar mais pessoas a terem conhecimento sobre a Nova Medicina Germânica.

>>> Baixe Ebook Gratuito: Medicina Germânica e seu poder de cura.

Este blog é apenas um blog educativo. As informações e serviços aqui contidos não devem ser interpretados como um diagnóstico, tratamento, prescrição ou cura para a doença. Aqueles que buscam tratamento para uma doença específica devem consultar seu médico para determinar o protocolo de tratamento adequado, correto e aceito antes de usar qualquer coisa que é divulgado nesta página. O material referenciado acima reflete a convicção sincera da Dra. Marina Bernardi sobre esta nova medicina.