Saiba porque os vírus não podem serem eliminados do planeta

Você deve estar se perguntando, como assim? Marina, vírus tem lado benéfico? Sim, vários cientistas estão estudando sobre isso. E através desse artigo pretendo mostrar o porquê.

Sabemos que inúmeras vidas ​​foram eliminadas por milênios, frequentemente destruindo grande parte da população mundial, desde epidemia da Gripe de 1918, que matou de 50 a 100 milhões de pessoas, aos 200 milhões que morreram de varíola apenas no século XX.

Sendo que a atual pandemia de COVID-19 é apenas uma de uma série de ataques virais mortais contínuos e intermináveis ao longo dos tempos.

Se pudesse ter uma chance de fazê-los desaparecer com uma varinha mágica, a maioria das pessoas provavelmente aproveitaria a oportunidade para fazê-lo, especialmente nesse momento em que vivemos. Certo?

Entretanto, isso seria um erro mortal para o planeta, de fato, do que qualquer vírus poderia representar.

Tony Goldberg, epidemiologista da Universidade de Wisconsin-Madison, disse a seguinte frase:

“Se todos os vírus desaparecerem repentinamente, o mundo seria um lugar maravilhoso por cerca de um dia e meio, e todos morreríamos, esse seria o resultado final. Todas as coisas essenciais que eles fazem no mundo superam as ruins.”

Os vírus mantêm a vida equilibrada

Lado Benéfico dos Virus

Você sabia? Segundo estudos, a grande maioria dos vírus não é patogênica para os seres humanos e muitos desempenham um papel fundamental na manutenção dos ecossistemas. Ou seja, não possuem propriedades capazes de induzir o aparecimento de doenças.

Outros vírus mantêm a saúde de organismos individuais, de fungos, plantas a insetos e seres humanos. Sim, os seres humanos!

“Vivemos em um equilíbrio perfeito”, e os vírus fazem parte disso, diz Susana López Charretón, virologista da Universidade Nacional Autônoma do México. Conforme também estudos de Dr. Hamer, através da Medicina Germânica.

A maior parte das pessoas não sabe o papel que os vírus efetuam na manutenção de grande parte da vida na Terra, porque tendemos a nos concentrar apenas naqueles que causam doenças para os seres humanos.

A grande maioria dos virologistas estudam apenas os vírus patógenos. Apenas recentemente, alguns pesquisadores ousados começaram a investigar os vírus que mantêm a nós e ao planeta vivo, em vez de nos matar.

Segundo, Goldberg:

“É um pequeno grupo de cientistas tentando fornecer uma visão justa e equilibrada do mundo dos vírus e mostrar que existem bons vírus. Os vírus permitem que a grama que cresce no Parque Nacional de Yellowstone resista às altas temperaturas geotérmicas “.

Quantos vírus existem?

Para pesquisadores iniciantes, nem se sabe quantos vírus existem. Milhares foram formalmente classificados, mas pode haver milhões.

“Descobrimos apenas uma fração porque não pesquisamos muito”, diz Marilyn Roossinck, ecologista de vírus da Penn State University, nos EUA.

“É apenas um viés: a ciência só se interessou por patógenos”. Os pesquisadores também não sabem que porcentagem do vírus total é problemática para os seres humanos.

Chave para os ecossistemas

O que os pesquisadores sabem é que os fagos, ou vírus que infectam bactérias, são bastante importantes. Seu nome vem do grego phagein, que significa devorar, e é isso que eles fazem.

De acordo com Goldberg:

Eles são os maiores predadores do mundo bacteriano. Os fagos são os principais reguladores das populações bacterianas no oceano, e provavelmente também em muitos ecossistemas do planeta.”

Caso os vírus desaparecem de forma repentina, algumas populações bacterianas cresceriam desproporcionalmente, outras poderão ficar fora de competição e parar de crescer por completo.

Isso seria particularmente problemático nos oceanos, onde mais de 90% de toda a vida é microbiana. Esses micróbios produzem cerca de metade do oxigênio do planeta, um processo facilitado por vírus.

Esses vírus matam cerca de 20% de todos os micróbios oceânicos todos os dias e cerca de 50% de todas as bactérias oceânicas.

Ao eliminar os micróbios, os vírus garantem que o plâncton produtor de oxigênio tenha nutrientes suficientes para realizar altas taxas de fotossíntese, o que, em última análise, permite que boa parte da vida na Terra seja mantida.

Controle de espécies

Pesquisadores que estudam pragas de insetos descobriram que os vírus são críticos para controlar a população de espécies. Se uma certa espécie crescer, “um vírus aparecerá e os matará”, explica Roossinck.

Esse processo, chamado “matar o vencedor”, é comum em outras espécies, incluindo a nossa, como colocado pelas pandemias.

Segundo, Suttle:

“Quando as populações se tornam muito abundantes, os vírus tendem a se replicar muito rapidamente e encolhem populações, criando espaço para outras coisas. Perderíamos rapidamente muita biodiversidade do planeta. Algumas espécies assumiriam o controle e empurrariam o resto.”

Se os vírus desaparecerem, é provável que as espécies competitivas floresçam em detrimento de outras.

Os cientistas acreditam, por exemplo, que os vírus desempenham um papel importante em ajudar vacas e outros ruminantes a transformar celulose de pasto em açúcares que podem ser metabolizados e, finalmente, transformados em massa corporal e leite.

Proteção para seres humanos

As infecções por certos vírus benignos podem até ajudar a proteger os seres humanos de alguns patógenos.

O vírus GB-C ou vírus da hepatite G, um vírus não patogênico que é um parente próximo do vírus do Nilo Ocidental e da dengue, está ligado à progressão tardia da AIDS em pessoas HIV positivas.

Os cientistas também descobriram que o vírus GB-C torna as pessoas infectadas pelo Ebola menos propensas a morrer.

Da mesma forma, o herpes torna os camundongos menos suscetíveis a certas infecções bacterianas, incluindo peste bubônica e listeria.

Tratamentos

Os vírus também são um dos agentes terapêuticos mais promissores para o tratamento de certas doenças.

A terapia fágica usa vírus para atacar infecções bacterianas. Este é um campo que agora começa a crescer com o aumento da resistência a antibióticos.

Os vírus oncolíticos, aqueles que infectam e destroem seletivamente células cancerígenas, também estão sendo estudados como um tratamento contra o câncer menos tóxico e mais eficiente.

Fonte: https://www.bbc.com/future/article/20200617-what-if-all-viruses-disappeared

Vírus segundo a Germânica Heilkunde

Para a nova medicina, os vírus são encontrados em tecidos de origem ectodérmica somente, servindo para reconstruí-los. Conforme estudos de Dr. Hamer, através da Quarta Lei Biológica.

Segundo Dr. Hamer, as chamadas “doenças” vêm de dentro para fora. As bactérias, vírus ou fungos fazem parte da nossa natureza, e eles existem para nos ajudar, limpando e reconstruindo o ecossistema.

Através disso, deveríamos começar a fazer conexões entre o que fazemos com nossa vida e as respostas biológicas que o nosso corpo apresenta.

Assista o vídeo o qual eu falo sobre a Quarta Lei Biológica de Dr. Hamer:

Conclusão

Espero que você tenha entendido a o lado benéfico dos vírus no planeta e porque eles não podem serem eliminados.

Considerou o artigo útil? Compartilhe esse artigo para que possamos ajudar mais pessoas a terem conhecimento sobre a Nova Medicina Germânica.

Quer ter um maior conhecimento da Germânica Heilkunde? Participe da nossa próxima turma Germânica Heilkunde Formação Online.

Este blog é apenas um blog educativo. As informações e serviços aqui contidos não devem ser interpretados como um diagnóstico, tratamento, prescrição ou cura para a doença. Aqueles que buscam tratamento para uma doença específica devem consultar seu médico para determinar o protocolo de tratamento adequado, correto e aceito antes de usar qualquer coisa que é divulgado nesta página. O material referenciado acima reflete a convicção sincera da Dra. Marina Bernardi sobre esta nova medicina.