Saiba sobre aneurisma pela nova medicina

Através deste artigo pretendo explicar sobre o aneurisma segundo ensinamentos de Dr. Hamer e a Medicina Germânica Heilkunde. O aneurisma é a dilatação anormal de um vaso sanguíneo.

Os vasos sanguíneos compõem o sistema cardiovascular do corpo. A circulação sistêmica transporta sangue oxigenado do ventrículo esquerdo através das artérias para os diversos tecidos do organismo. Nos capilares, o menor dos vasos sanguíneos, oxigênio e outros nutrientes são trocados por resíduos celulares e dióxido de carbono. 

As veias levam o sangue desoxigenado de volta ao coração e o entregam através das câmaras cardíacas direitas e das artérias pulmonares para os pulmões . A circulação pulmonar devolve o sangue oxigenado dos pulmões para o átrio esquerdo, que desemboca no ventrículo esquerdo, completando o ciclo da circulação sanguínea. 

A parede do vaso sanguíneo é dotada de tecido conjuntivo, músculo liso e músculos estriados. Igual aos músculos intestinais que movem o “pedaço de comida” ao longo do canal intestinal através do movimento peristáltico, os músculos lisos das artérias e veias facilitam o fluxo do “pedaço de sangue”. 

O revestimento interno das artérias e veias, a chamada íntima, origina-se do novo mesoderma, sendo assim, é controlado pela medula cerebral.

Conforme estudamos pela Medicina Germânica Heilkunde, a maioria das “doenças” são originadas através de um conflito biológico (evento inesperado, traumático e vivido em solidão) que ocorre na vida de um indivíduo.

Qual é o conflito biológico relacionado às artérias?

Aneurisma pela Medicina Germânica Heilkunde

O conflito biológico relacionado às artérias é um conflito leve de autodesvalorização vivenciado na área de uma determinada artéria. Os conflitos específicos de autodesvalorização são os mesmos para os ossos e articulações.

Uma pessoa que tem dificuldade para andar (após um acidente, doença, cirurgia) pode sofrer um conflito de autodesvalorização (conflito de desempenho físico) afetando as artérias das pernas (artérias femorais) ou dos pés ( artéria tibial). 

A aorta abdominal está ligada a um conflito de autodesvalorização associado à região abdominal (dor abdominal, constipação, doença de Crohn, diagnóstico de câncer de cólon ou cirurgia) e ao medo de que algo esteja errado nesse local. O mesmo se aplica à aorta torácica que atravessa o tórax e outras artérias, como a artéria renal ou a artéria pélvica que suprem os rins e a região pélvica.

As seções externas das artérias subclávias que transportam sangue para o ombro e os braços relacionam-se a um conflito de autodesvalorização do relacionamento (ter falhado como parceiro ou como pai, mãe…)

As artérias carótidas externas que levam sangue à face e ao couro cabeludo, bem como as artérias cerebrais, estão ligadas a um conflito de autodesvalorização intelectual. As artérias cerebrais respondem também ao sofrimento de “o cérebro não recebe oxigênio suficiente” (um pai pode sofrer esse conflito por e com um recém-nascido).

Fase ativa do conflito

Enquanto a íntima passa pela necrose, os músculos lisos da artéria tornam-se mais espessos para evitar a perfuração da parede arterial. No entanto, se um conflito intenso persistir por um longo período de tempo, a parede do vaso sanguíneo torna-se fraca causando uma protuberância ou aneurisma localizado, por exemplo, em uma das artérias carótidas externas. 

Um aneurisma cerebral em outras artérias cerebrais que não as carótidas é extremamente rara. A localização mais comum dos aneurismas arteriais é a aorta abdominal, especificamente o segmento da aorta abdominal abaixo dos rins. 

Um aneurisma da aorta abdominal localizado abaixo dos rins é chamado de aneurisma da aorta infrarrenal. Pequenos aneurismas podem passar completamente despercebidos. No entanto, à medida que o aneurisma se torna maior, há maior risco de ruptura. 

Normalmente, as fibras musculares lisas embutidas nos músculos estriados da parede arterial estabilizam o vaso sanguíneo. Assim, uma ruptura do aneurisma ocorre apenas por causa de um movimento vigoroso, levantando algo pesado ou pressionando com muita força durante uma evacuação. 

A hemorragia no abdômen é uma emergência médica. Quando um aneurisma cerebral estoura, isso causa sangramento no cérebro. 

Fase de cura do conflito

Durante a primeira parte da fase de cicatrização, a área necrosada na artéria afetada é reabastecida através da proliferação celular com inchaço localizado. Bactérias, se disponíveis, auxiliam o processo de cicatrização, potencialmente acompanhado por uma inflamação (arterite).

O vaso sanguíneo é reparado com a ajuda de cálcio e colesterol. Com recaídas contínuas de conflito, as placas se acumulam no local levando à aterosclerose e, eventualmente, ao estreitamento do lúmen do vaso sanguíneo. 

Com o tempo, a parede arterial endurece e perde sua elasticidade, uma condição conhecida como arteriosclerose. 

A aterosclerose nas artérias penianas, ligada a um conflito de autodesvalorização sexual, restringe a entrada de sangue no pênis necessária para obter e manter uma ereção, sendo assim, os vasos sanguíneos estreitados comprometem a função do sistema erétil causando disfunção erétil.

Conclusão

Espero que você tenha entendido sobre o aneurisma pela Medicina Germânica Heilkunde.

Considerou o artigo útil? Compartilhe esse artigo para que possamos ajudar mais pessoas a terem conhecimento sobre a Medicina Germânica Heilkunde.

>>> Garanta agora mesmo: Guia definitivo da Medicina Germânica Heilkunde

Este blog é apenas um blog educativo. As informações e serviços aqui contidos não devem ser interpretados como um diagnóstico, tratamento, prescrição ou cura para a doença. Aqueles que buscam tratamento para uma doença específica devem consultar seu médico para determinar o protocolo de tratamento adequado, correto e aceito antes de usar qualquer coisa que é divulgado nesta página. O material referenciado acima reflete a convicção sincera da Dra. Marina Bernardi sobre esta nova medicina.