Lúpus, Será mesmo que não Tem Cura?

Lupus e a Germanica Heilkunde

Apesar de não existir dados exatos sobre o Lúpus, estima-se que cerca de 65 mil pessoas no Brasil sofrem dessa doença e, em sua maioria, as mulheres são as mais afetadas.

Você já deve ter escutado que o Lúpus não tem cura, certo? Então surpreenda-se pois apesar da medicina tradicional afirmar que não existe cura, a Medicina Germânica trouxe uma nova perspectiva para essa doença se aprofundando em sua real causa e revelando que ela pode sim ter cura.

Neste artigo você entenderá o Lúpus tanto na visão da medicina tradicional quanto na visão da Medicina Germânica que traz a real compreensão sobre essa doença.

O que é Lúpus?

Segundo a medicina tradicional, Lúpus é um distúrbio do corpo que gera uma doença crônica autoimune devido a produção elevada de anticorpos.

Acredita-se que os anticorpos, devido sua quantidade em excesso, começam a agredir e atacar o próprio corpo gerando inflamaçōes em diversos partes do organismo como pele, articulações, olhos, rins, cérebro, coração e pulmões.

O Lúpus pode se manifestar de várias formas existindo dois tipos principais que veremos a seguir.

Quais os Tipos de Lúpus?

Existem dois principais que são o Lúpus Eritematoso Cutâneo e o Lúpus Eritematoso Sistêmico.

Lúpus Eritematoso Cutâneo: Aparecem manchas avermelhadas ou eritematosas na pele e, em especial, nas partes que ficam mais acessíveis ao sol como o rosto, as orelhas, os braços e o colo.

Lúpus Eritematoso Sistêmico: Órgãos internos são afetados e, em especial, os rins, pulmões e coração.

Ainda não existe uma causa conhecida pela medicina tradicional que justifique este comportamento do corpo que, ainda, apresenta um padrão indefinido pois os sintomas do Lúpus pode sumir e aparecer a qualquer momento.

Quais são os sintomas do Lúpus?

  • Dores nas articulações
  • Queda de cabelo
  • Feridas na boca
  • Perda de peso
  • Manchas avermelhadas, especialmente em rosto, pescoço, peito e cotovelos
  • Inchaço e vermelhidão ao redor das unhas
  • Dor de cabeça
  • Febre
  • Dor e dificuldade ao respirar
  • Em casos graves, convulsões
  • Manchas na pele (na região do rosto, pescoço, colo e braços)

Como prevenir e tratar o Lúpus?

Segundo a Medicina tradicional ainda não foi descoberta uma maneira de evitar o aparecimento do Lúpus, porém acredita-se que quanto antes a doença for identificada pode-se tratá-la para retardar o seu desenvolvimento e sintomas.

O tratamento visa controlar os sintomas, melhorar a qualidade de vida e, geralmente, é realizado através de:

  • Anti-inflamatório
  • Corticóide
  • Imunossupressor
  • Protetor solar e Roupas de Proteção

Apesar da visão da medicina tradicional considerar o Lúpus um comportamento anormal do corpo e não ter uma explicação exata sobre ela, existe um nova forma de perceber o Lúpus que revela sua real causa e abre espaço para a cura. É o que veremos a seguir!

Uma nova visão sobre a cura do Lúpus.

A Germânica Heilkunde se aprofunda na real causa do desenvolvimento do Lúpus no organismo do paciente.

Através de estudos realizados pelo Dr.Hamer, descobriu-se que a causa está relacionada a uma situação de choque inesperado que o paciente vivenciou e que despertou conflitos biológicos em seu corpo.

O Lúpus é resultado de diversos conflitos como, por exemplo, o conflito de abandono, de auto-desvalorização e de perda de contato.

O conflito de auto-desvalorização afeta articulações e ossos, dependendo do grau de desvalorização que o paciente sente. Como consequência, ocorre as dores articulares e inflamação típicas de pacientes com Lúpus Eritematoso Sistêmico.

O Conflito de abandono caracterizado pelo sentimento de solidão do paciente, afeta o rim e causa a retenção de fluídos e edema no corpo como, por exemplo, a nefrite lúpica. Aqui pode pode ocorrer a insuficiência renal.

O Conflito de separação afeta a pele, principalmente a epiderme, aparecendo seus principais sinais e sintomas na fase de cura, pois é nesta fase que o inchaço ou inchaço da pele ocorre.

Quando, por exemplo, surgem erupções cutâneas no nariz, queixo e bochechas o conflito é experimentado como uma separação “da face”, seja através de uma perda de contato ou através da separação (“saia da minha cara!”).

Se o paciente tiver o conflito de separação juntamente com o de abandono pode potencializar a inflamação, edema e inchaço das erupções cutâneas típicas do Lúpus.

O caminho para a cura do Lúpus está em identificar os conflitos que geraram o desenvolvimento dessa enfermidade e trabalhar orientando o paciente para a resolver esses conflitos.

Uma vez que os conflitos são resolvidos, o corpo irá responder e voltar à sua normalidade.

Conclusão

A medicina tradicional considera Lúpus uma doença sem cura e autoimune como se fosse um erro do corpo que acaba por atacar a si mesmo, porém a Germânica Heilkunde vem para trazer um novo olhar revelando a real causa desta enfermidade e trazendo soluções para a sua cura respeitando a natureza do organismo.

Gostou do artigo? Compartilhe com outros profissionais da saúde ou com um amigo querido que poderá ajudar.

Conheça ainda mais a Germânica Heilkunde através do nosso ebook:

Nova-medicina-germanica-pdf

Este blog é apenas um blog educativo. As informações e serviços aqui contidos não devem ser interpretados como um diagnóstico, tratamento, prescrição ou cura para a doença. Aqueles que buscam tratamento para uma doença específica devem consultar seu médico para determinar o protocolo de tratamento adequado, correto e aceito antes de usar qualquer coisa que é divulgado nesta página. O material referenciado acima reflete a convicção sincera da Dra. Marina Bernardi sobre esta nova medicina.