Como Tomar Controle de Uma Vez Por Todas do Diabetes

Diabetes

Você sabia que, segundo o Ministério da Saúde, 14.250 Milhões de Brasileiros sofrem de Diabetes e que cerca de metade dessas pessoas nem sabem que sofrem da doença pois ainda não foram diagnosticadas?

O diabetes cresceu mais de 60% nos últimos 10 anos e a melhor forma de você prevenir, tratar e tomar controle sobre o diabetes é entendendo a sua origem no organismo.

O que é o diabetes e quais seus sintomas?

O diabetes é considerado, pela medicina tradicional, uma doença crônica em que o corpo para de produzir insulina ou não consegue utilizar adequadamente a insulina que produz. Como a insulina é o hormônio que controla a quantidade de glicose no sangue, quando a pessoa tem diabetes o seu nível de glicose aumenta resultando na hiperglicemia.

Por apresentar sinais discretos em seu início, devemos estar atentos aos sintomas do diabetes para identificá-lo o quanto antes. Seguem alguns sintomas mais comuns:

  • Sede Excessiva:  necessidade frequente de tomar água mas, mesmo assim, permanecer com a boca seca.
  • Urinar Constantemente: vontade de urinar a todo instante, inclusive acordando diversas vezes durante a noite para ir ao banheiro.
  • Fome Descontrolada: aumento de apetite fora dos horários de costume ou logo após fazer uma refeição.
  • Cansaço Frequente: sentir cansaço sem motivo ou mais do que o habitual.

Para que possamos ir mais a fundo visando tratar e curar o diabetes é preciso, primeiramente, entender a sua origem sob a ótica da Germânica Heilkunde.

Foi comprovado, através de milhares de estudos do Dr.Hamer, que todas as enfermidades são desenvolvidas à partir de um conflito biológico, ou seja, existe um conflito associado ao diabetes que necessita ser identificado e resolvido para que se possa tomar o controle desta enfermidade de uma vez por todas. É o que veremos a seguir, vamos lá?

Qual conflito está relacionado ao diabetes?

O diabetes está associado a um conflito de resistência, ou seja, existe algo na vida do diabético que ele sente que precisa resistir, que precisa aguentar como se fosse uma luta constante. Vejamos algumas situaçōes de possíveis resistências:

  • Resistência a uma pessoa: marido, esposa, mãe, pai, irmão, filho, professor, chefe, companheiro de trabalho etc…
  • Resistência a uma situação: no trabalho, em casa, na escola, numa relação etc…
  • Resistência a uma decisão: ser forçado a fazer algo contra a sua vontade.

Quando o indivíduo passa por uma situação chocante inesperada que precisa resistir, o cérebro manda um comando para o pâncreas parar de produzir insulina para que as moléculas de açúcar não consigam entrar nas células e fiquem no sangue com o objetivo de promover a energia necessária ao corpo para resistir a essa situação.

Em outras palavras, no momento em que a pessoa precisa resistir a algo ou a alguém, este conflito é imediatamente ativado ocorrendo o armazenamento de glicose no sangue com o propósito biológico de preparar o indivíduo para a resolução do conflito, fornecendo ao organismo, particularmente aos músculos, quantidade suficiente de açúcar no sangue para poder lutar com força total.

Percebemos que, o que a medicina tradicional entende como uma falha do organismo, é na verdade apenas nosso corpo nos ajudando, proporcionando o combustível necessário para sobrevivermos a um conflito.

Como controlar o diabetes? Vamos analisar um caso.

As crianças costumam sofrer deste conflito quando, por exemplo, resistem a ir para o day care, escola ou quando se opōe fortemente ao que são mandadas fazer.

Imagine, por exemplo, que uma criança foi diagnosticada com diabetes. Para ajudar na sua cura, é preciso considerar o histórico dela, ou seja, verificar qual situação vivida que a impactou de forma inesperada.

Voltando ao seu histórico percebeu-se que ela estava na idade de ir para escola e que apresentou forte resistência a aceitar esta nova realidade.

No exato momento em que ela resistiu, foi ativado em seu organismo o conflito da resistência que respondeu, imediatamente, com o aumento de açúcar no sangue para que ela pudesse ter a força disponível para sobreviver a esta situação.

O corpo armazenará o açúcar no sangue desta criança conforme a necessidade de sobrevivência dela, isto é, o grau de hiperglicemia será maior ou menor de acordo com a intensidade do conflito vivido por ela. Se o fato dela ter que ir a escola foi extremamente impactante para ela, então o grau de hiperglicemia será mais alto do que se o impacto tivesse sido menor.

Após identificar o conflito, é de extrema importância que ele seja trabalhado para ser resolvido o quanto antes, isto é, a criança precisa entender e aceitar o fato de ter que ir a escola para quebrar essa resistência e, desta forma, permitir que o nível de açúcar em seu sangue volte à normalidade curando o diabetes.

Quanto mais tempo ela demorar para resolver o conflito, o diabetes pode se tornar crônico e, neste caso, as terapias com com insulina e as medidas dietéticas são vitais até que o conflito seja resolvido.

Conclusão:

Toda enfermidade está relacionada a um conflito biológico que precisa ser identificado e trabalhado para que seja resolvido. O entendimento e resolução do conflito associado ao diabetes são grandes aliados no processo de cura.

A Germânica Heilkunde nos ajuda na compreensão do funcionamento do corpo evidenciando o quanto a nossa natureza é sabia e sempre se mobiliza com o objetivo de nos ajudar. Este conhecimento nos permite mudar a percepção referente às enfermidades, eliminando os medos e nos capacitando a confiar em nosso corpo.

Gostou do artigo? Compartilhe com outros profissionais da saúde ou com um amigo querido que poderá ajudar.

Conheça ainda mais a Germânica Heilkunde através do nosso ebook:

Nova-medicina-germanica-pdf

Este blog é apenas um blog educativo. As informações e serviços aqui contidos não devem ser interpretados como um diagnóstico, tratamento, prescrição ou cura para a doença. Aqueles que buscam tratamento para uma doença específica devem consultar seu médico para determinar o protocolo de tratamento adequado, correto e aceito antes de usar qualquer coisa que é divulgado nesta página. O material referenciado acima reflete a convicção sincera da Dra. Marina Bernardi sobre esta nova medicina.