A automutilação segundo a Nova Medicina Germânica

Como lidar com automutiladores?

A automutilação segundo a Nova Medicina Germânica

Como falar em automutilação e outros meios de autolesão? Esse é um assunto bastante delicado e considerado um tabu. Mas pretendemos discutir sobre isso.

Nesse artigo, vamos esclarecer os mitos e verdades relacionadas a esse tema. Esclarecendo os falsos equívocos sobre suas motivações e estado de espírito. Não deixe esses mitos interferirem na ajuda de quem você se preocupa.

Recentemente surgiu um sinistro jogo viral, chamado de Baleia Azul, propondo desafios macabros aos adolescentes, tendo várias fases a ‘’brincadeira’’, sendo que uma delas é automutilar-se.

Esse jogo foi um grande alerta para os pais, fazendo com que observem mais o comportamento dos filhos, dando atenção redobrada aos jovens que apresentam tendência a depressão.

Quais são os mitos?

  • Pessoas que se a automutilam estão tentando chamar a atenção;
  • Pessoas que se automutilam são loucas e perigosas;
  • Pessoas que se automutilam querem morrer;

Quais são as verdades?

  • Pessoas que se automutilam não querem chamar a atenção para si mesmos. Na verdade, a vergonha e o medo impedem o indivíduo de pedir ajuda;
  • Muitas pessoas que se automutilam sofrem de ansiedade, depressão ou trauma anterior;
  • Os automutiladores geralmente não querem morrer. Quando se machucam, não estão tentando se matar, estão tentando lidar com a dor deles. Mas no longo prazo, as pessoas que se automutilam têm um risco muito maior de suicídio e é por isso que é tão importante procurar ajuda.

Qual é a perspectiva da Nova Medicina Germânica sobre a automutilação?

Dr. Hamer descobriu que aqueles indivíduos que tendem a se automutilar estão sofrendo um estado de constelação.

Uma constelação envolve múltiplos conflitos biológicos em metades opostas do cérebro. Em outras palavras, um conflito ativo em cada hemisfério em oposição direta. Pense em uma constelação de estrelas no céu noturno.

O que foi observado em automutiladores são as seguintes constelações: uma constelação pós-mortal  que reflete pensamentos de morte, uma constelação planante que reflete experiências fora do corpo e desconectando-se, uma constelação agressiva que reflete raiva e finalmente a constelação de cerebelo, refletindo na incapacidade de sentir, sem emoção.

A constelação do cerebelo é a mais importante, pois é responsável pelo desligamento emocional que faz os indivíduos quererem realizar a automutilação. Cortar-se é uma maneira de sentir algo, qualquer coisa novamente.

Conclusão

A automutilação é algo que requer cuidado, onde o indivíduo não está querendo chamar a atenção, mas está precisando de ajuda.

Gostou do artigo? Compartilhe com outros profissionais da saúde ou com um amigo querido que poderá ajudar.

Conheça ainda mais a Germânica Heilkunde através do nosso ebook:

Nova-medicina-germanica-pdf

Este blog é apenas um blog educativo. As informações e serviços aqui contidos não devem ser interpretados como um diagnóstico, tratamento, prescrição ou cura para a doença. Aqueles que buscam tratamento para uma doença específica devem consultar seu médico para determinar o protocolo de tratamento adequado, correto e aceito antes de usar qualquer coisa que é divulgado nesta página. O material referenciado acima reflete a convicção sincera da Dra. Marina Bernardi sobre esta nova medicina.