Autismo na Nova Medicina Germânica

Saiba sobre conflitos biológicos no autismo

Autismo na Nova Medicina Germânica

Nesse artigo, iremos a abordar o autismo a partir da perspectiva da Nova Medicina Germânica, compreendendo assim o estado autista.

O que pode ser definido como autismo? O autismo é semelhante a um estado de catatonia, onde a criança vive num estado como se estivesse trancada em sua própria bolha privada.

Segundo a Nova Medicina Germânica, distúrbios emocionais como o autismo envolvem múltiplos choques biológicos de conflito em metades opostas do cérebro, que são chamadas de constelações. Ou seja, um conflito ativo em cada hemisfério em oposição direta. Imagine uma constelação de estrelas no céu noturno.

Pesquisas de Dr. Hamer revelaram o cérebro, mostrando que uma verdadeira constelação de autismo envolve um conflito ativo no relato cerebral laríngeo (um susto ou medo) combinado com um conflito ativo no estômago relé cerebral (uma raiva territorial). Essas constelações sempre criarão psicoses únicas dependendo de sua seqüência e combinações.

Exemplo de conflito biológico no autismo

Quando uma criança passa pelo divórcio dos pais, ela é ‘’transportada’’ de um lado para o outro, com a mãe ou com o pai e ainda pode sofrer bullyng de um valentão na porta do colégio (uma agressão).

Os sintomas do verdadeiro autismo fazem sentido e claramente não são uma escolha consciente por parte da criança. Devido aos duplos conflitos que o afetam, a criança sente agora que a melhor opção é retirar-se e desligar-se do mundo.

Muitas vezes o conflito de raiva desempenha um papel proeminente na constelação maior.

Podemos verificar, às vezes, comportamentos adicionais (constelações de conflito) fundidos no quadro clínico.Por exemplo, um conflito de audição dupla (quando você espera para ouvir e não acredita no que acabou de ouvir), apresentando-se como um fechamento auditivo.

Os conflitos biológicos envolvidos sempre afetarão os relés cerebrais territoriais no córtex cerebral. O córtex cerebral esquerdo é o reino territorial feminino, enquanto o córtex cerebral direito é o reino territorial masculino.

Dr. Hamer nos mostrou que o hemisfério masculino ou direito é responsável pela depressão quando faz parte de uma constelação maior, referindo a sentir-se desmotivado e introspectivo. O hemisfério feminino ou esquerdo, mania quando faz parte de uma constelação maior, referindo-se a um sentimento semelhante de sentir-se motivado e energizado para a expressão maníaca clássica.

Quando em constelação, se a maior massa ou peso de atividade de conflito está no hemisfério direito, a criança será depressiva autista (extremamente retirado e vai olhar para longe na distância), quando da esquerda, maníaco autista (extremamente ativo).

Conclusão

Identificar o conflito biológico causativo necessita trabalhar com e através dos pais como substitutos. Uma vez que um ou ambos os pais estão com a criança em todos os momentos, de modo que estão muitas vezes sintonizados em qualquer choque biológico que a criança pode ter experimentado. Quando este não é o caso, pode tornar-se necessário manipular ou “refrescar” o ambiente da criança, a fim de trazer a resolução.

Esperamos que você tenha compreendido o autismo segundo a Nova Medicina Germânica. Gostou do artigo? Compartilhe com seus amigos.

Este blog é apenas um blog educativo. As informações e serviços aqui contidos não devem ser interpretados como um diagnóstico, tratamento, prescrição ou cura para a doença. Aqueles que buscam tratamento para uma doença específica devem consultar seu médico para determinar o protocolo de tratamento adequado, correto e aceito antes de usar qualquer coisa que é divulgado nesta página. O material referenciado acima reflete a convicção sincera da Dra. Marina Bernardi sobre esta nova medicina