3 dicas para lidar com pessoas agressivas

lidar-com-pessoas-agressivas-germanica-heilkunde

Confira 3 dicas para lidar com pessoas agressivas:

O sentimento da raiva está ligado a pessoas agressivas. A raiva é uma emoção comum a todas as pessoas e a forma mais instintiva de a exteriorizar é através da agressividade. É a forma “natural” de resposta às ameaças, pelo que acaba por ser, em certa medida, necessária. No entanto, algumas pessoas parecem sentir e exteriorizar mais raiva do que outras. Nalguns casos, a raiva parece tomar conta do dia-a-dia de algumas pessoas, levando-as ao descontrolo e a comportamentos mais ou menos destrutivos.. Como é que isto se explica?

O que Dr. Hamer descobriu a partir das suas pesquisas na década de 80 era que pessoas agressivas tinham algo em comum: além de estar ligadas ao sentimento de raiva, são pessoas que tiveram muita contrariedade. A contrariedade acontece quando alguém nos faz algo que não estamos de acordo. Por exemplo uma mãe que proíbe seu filho de jogar bola, ou só sabe dizer não. Uma professora que reprime, uma separação também pode ser uma contrariedade, quando alguém muito querido fica longe contra sua vontade.

E o que fazer com essas pessoas?

Assista ao vídeo…

Gostou do artigo? Compartilhe com outros profissionais da saúde ou com um amigo querido que poderá ajudar.

Eu tenho um presente para você! Este Guia prático te ajudará a identificar e mudar comportamentos nocivos para transformar sua vida à partir de agora. Baixe gratuitamente o seu Guia Mudança de Padrão de Comportamento: 

Guia-Mudanca-Comportamento-Marina-Bernardi

Este blog é apenas um blog educativo. As informações e serviços aqui contidos não devem ser interpretados como um diagnóstico, tratamento, prescrição ou cura para a doença. Aqueles que buscam tratamento para uma doença específica devem consultar seu médico para determinar o protocolo de tratamento adequado, correto e aceito antes de usar qualquer coisa que é divulgado nesta página. O material referenciado acima reflete a convicção sincera da Dra. Marina Bernardi sobre esta nova medicina.